Boletim #32 (24 de julho de 2020)

Cardiologia do Hospital dos Covões a caminho do encerramento total

 


Afinal, o que querem o Ministério da Saúde e o PS para Coimbra?

O movimento Somos Coimbra soube que o Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) determinou que a partir do dia 1 de agosto terminaria a possibilidade de pernoita nos procedimentos invasivos realizados pela cardiologia de intervenção no Hospital dos Covões, o que reduz fortemente a sua capacidade de atuação, pois há inúmeros procedimentos que não se resolvem num dia.
O movimento Somos Coimbra não entende e não tolera este contínuo esvaziamento do Hospital dos Covões, como tem vindo a afirmar, sem sequer ser debatida e definida a sua missão geral e específica, muito menos aceitando a redução brutal da capacidade de resposta do CHUC aos doentes cardiológicos. Afinal, o SNS continua a ser destruído em Coimbra pelas mãos do Partido Socialista (PS), revelando quão falsas e demagógicas têm sido as declarações dos dirigentes locais do PS e da Ministra da Saúde, eleita deputada por Coimbra como cabeça de lista do PS.

O movimento Somos Coimbra exige a reabertura do internamento em Cardiologia com presença física 24h/dia, no Hospital dos Covões, bem como o reinício do programa de intervenção estrutural percutâneo, para o que são suficientes, note-se, os recursos físicos e assistenciais que já existem.

Ler mais informação aqui.

Coordenador e Comissão Política do Somos Coimbra eleitos com uma moderna votação online
Na sexta-feira e no sábado passados, o Grupo de Cidadãos Eleitores Somos Coimbra participou numa moderna votação online para eleger o seu Coordenador e a sua Comissão Política para o próximo triénio. A lista que apresentou a moção “Pela afirmação de Coimbra e pelo desenvolvimento de todo o concelho”, encabeçada por José Manuel Silva, foi eleita com 116 votos, o que representa uma percentagem de 97,5% dos votantes (houve 3 votos em branco). A percentagem de votantes foi de 53%.
“Com o movimento Somos Coimbra, a Câmara Municipal de Coimbra (CMC), desburocratizada e ágil nas suas respostas, passará a ser o catalisador da conjugação de esforços e estratégias de desenvolvimento naqueles que consideramos como os sectores mais relevantes: Saúde, Educação, Cultura, Turismo, Ambiente, Inovação e Industrialização, com a consequente criação de emprego e melhoria da qualidade de vida de todos os munícipes”, conclui o coordenador do Movimento na sequência da sua eleição.

Ler mais informação aqui.

Coimbra “sem um rumo estratégico” no Turismo

A CMC tem, nas suas GOP para 2020, o Programa 02 003 “Dinamização e Promoção do Turismo”, do qual constam algumas medidas para o setor, mas sem um claro e definido rumo estratégico, prevendo-se apenas alguns investimentos de animação e promoção turística.
O Somos Coimbra entende que é preciso muito mais. Porém, surpreendentemente, no Programa Municipal de Estabilização Económica e Social (recentemente discutido na CMC), nem uma palavra sobre turismo. Numa cidade que tanto depende do Turismo, como pode falar-se em Estabilização Económica e Social sem dedicar uma atenção muito particular ao Turismo, sobretudo quando este é um dos setores mais afetados pela pandemia?
Esta falta de sentido estratégico explica o motivo pelo qual o concelho de Coimbra, relativamente à estada média nos alojamentos turísticos em 2018, considerando os turistas nacionais e estrangeiros, com 1,5 noites de média, está classificado no 239º lugar nacional, segundo o PORDATA.

Recorde-se que a CMC reserva para a Dinamização e Promoção do Turismo apenas 807 mil euros. É insuficiente para o momento presente, pelo que o vereador José Manuel Silva propôs, na última reunião de Câmara, que esta verba fosse reforçada, uma vez que o Turismo é essencial para a recuperação económica do concelho de Coimbra.

Ler mais informação aqui.

Rol de repavimentações em arruamentos cuja priorização ou necessidade deixa muito a desejar, quando há munícipes que aguardam há mais de 20 anos

A cidade de Coimbra tem vindo a assistir a um rol de repavimentações, um pouco por toda a cidade, em arruamentos cuja priorização ou necessidade deixa muito a desejar.

São várias as reclamações e queixas que têm chegado ao Somos Coimbra por parte dos munícipes que, tendo presente o estado de muitas estradas rurais e secundárias urbanas, perguntam “porquê esta rua e não a outra que está em pior estado?”.
Por opção da CMC, assiste-se ao deitar de dinheiro público ao lixo, quando, por oposição, outros munícipes, como é o caso dos moradores da R. da Mina em S. Silvestre, aguardam há mais de 20 anos, nem que seja por um revestimento superficial ou uma simples camada de regularização. Esta situação denota, mais uma vez, o sentimento de discriminação territorial e o preço a pagar por se viver na periferia. “Apesar das múltiplas promessas não cumpridas, quando é que estes munícipes vão poder aceder a casa com a dignidade que merecem e se exige?”, questionou a vereadora Ana Bastos, na última reunião de Câmara.

Ler mais informação aqui.


Como é hábito do presidente da CMC, propostas do Somos Coimbra não são agendadas

Desde outubro de 2017, altura em que Ana Bastos e José Manuel Silva, os dois vereadores eleitos pelo Movimento Somos Coimbra, tomaram posse no Executivo da CMC, o Somos Coimbra tem apresentado centenas de propostas. Infelizmente, nenhuma das propostas chega sequer a ser agendada (à exceção de duas no início do mandato), por decisão ilegal (face ao Regimento das Reuniões da CMC) do presidente da autarquia e por teimosia da maioria PS-PCP.

Na passada reunião, o Somos Coimbra apresentou, entre outras, quatro medidas: i) Isenção de Taxas Urbanísticas para projetos de investimento que sejam concretizados ainda durante 2020 e 2021 no concelho de Coimbra; ii) Apoiar a criação da marca ‘Baixa de Coimbra’ e a Happy Hour proposta pela APBC; iii) Promover junto dos comerciantes locais, a instalação de parklets para humanização da cidade, promoção do turismo e economia local; iv) Elaborar um Plano Municipal de Turismo para estimular a recuperação de visitantes a Coimbra e a todo o concelho.

Infelizmente, e como tem sido hábito do presidente da CMC, após o Requerimento de agendamento de quatro propostas do Somos Coimbra, estes assuntos não constam da ordem de trabalhos da próxima reunião de Câmara.

Ler a lista de propostas apresentadas pelo Somos Coimbra aqui.