Somos Coimbra foca-se nas questões relacionadas com a grave pandemia pelo vírus SARS-CoV-2


Crédito: Alissa Eckert, MS; Dan Higgins / Folding@Home



Em função da gravidade da pandemia COVID-19, que vai atingir Portugal com violência, o Movimento Somos Coimbra tem usado o Facebook para divulgar informação científica, epidemiológica e de prevenção e contenção desta pandemia vírica, colaborando assim no esforço colectivo de guerra ao novo vírus.


Infelizmente, o SNS não estava preparado nem se preparou para enfrentar esta pandemia, o que vai exigir ainda mais de cada um de nós, individualmente e coletivamente, em particular daqueles que estão nas profissões da frente da batalha.


Todos devem seguir rigorosamente as indicações dadas pela DGS. Tanto quanto possível, a recomendação é que protejam e fiquem em casa e evitem qualquer contacto com os grupos de risco, que são os mais idosos e os doentes.


Devido à pandemia e às medidas ditadas pelo estado de emergência, trabalhar a partir de casa é já uma realidade para muitos. As rotinas foram alteradas, mas com suporte tecnológico e com as ferramentas digitais, hoje mais do que nunca, há a possibilidade de adaptação e de superação dos desafios que há pela frente, sem ceder ao medo ou mesmo ao pânico. Dado o cancelamento das atividades presenciais, o Somos Coimbra está concentrado em apostar cada vez mais nas modalidades de comunicação online. Em breve, o Movimento pondera apostar em atividades com possibilidade de assistência e participação online. A página do Somos Coimbra mantém-se como instrumento de comunicação privilegiado e não vai ser descorada a presença do Movimento com atualizações regulares nas redes sociais Facebook, Instagram, Twitter e Youtube. Também o boletim semanal vai continuar a divulgar diversos aspetos da realidade da cidade. Em tempos inéditos para as pessoas e para as instituições, o Somos Coimbra mantém ainda a sua dinâmica e continua atento à realidade do município.


Nesse sentido, no início da semana, o Somos Coimbra alertou, na comunicação social, para os riscos que os motoristas dos SMTUC corriam ao desempenhar as suas funções. O Movimento exigiu “a adoção de medidas urgentes e eficazes para defesa dos motoristas e utentes dos SMTUC”, tal como já acontecia com a Carris. Uma vez que os SMTUC transportam milhares de pessoas todos os dias, o risco de contágio é enorme e evidente. Entretanto, com vários desenvolvimentos ao longo da semana, as condições foram sendo adaptadas e os motoristas parecem agora mais protegidos.


Para além dos motoristas dos SMTUC, o Somos Coimbra continua ainda vigilante quanto à realidade da cidade e denunciou o facto de vários trabalhadores do município estarem a ser obrigadas a deslocarem-se para os seus locais de trabalho, mesmo que estes permaneçam fechados ao público.