SC propõe reapreciação do "Programa de Ação de Contingência para Sem-abrigo perante o tempo frio"


Cartoon da autoria do Movimento Humor

3ª parte da Intervenção do vereador José Manuel Silva Reunião na Reunião de Câmara de 25 de janeiro de 2021


Ainda estamos no Inverno e, neste momento, por aquilo que se encontra no Portal da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), o "Programa de Ação de Contingência para pessoas em situação de Sem-abrigo perante tempo frio" terminou a sua vigência no dia 31 de dezembro de 2020, pelo que precisa de ser renovado.


Já aqui propusemos no passado que o programa fosse reapreciado em reunião do executivo, pois consideramos chocante que o nível de alerta amarelo só seja ativado perante temperaturas negativas durante pelo menos dois dias seguidos. Renovamos esta proposta de reapreciação e atualização. É desumano que o alerta amarelo exija temperatura negativas e durante dois dias seguidos.


A CMC foi pressurosa em divulgar que reforçou os contactos de rua com a população em situação de sem-abrigo, bem como o encaminhamento para os centros de acolhimento devido ao frio. Concordamos inteiramente com este reforço, que apoiamos, mas cujos resultados não conhecemos, pois não nos é presente nenhum relatório escrito.


Porém, podemos falar do que sabemos. Entre os sem-abrigo que à noite procuram um reforço alimentar e um café quente no CASA, no Pátio da Inquisição, nos dias piores há pessoas a sofrer de frio extremo, manifestamente com pouca roupa e com as mãos cianosadas, de tal forma que o termómetro utilizado para detetar pessoas em risco de estarem infetadas com COVID-19 nem sequer consegue medir a sua temperatura cutânea, o que significará que a mesma estará abaixo dos 32º graus centígrados.


Por isso mesmo, queremos aqui propor que, no mínimo, seja distribuída roupa quente a estas pessoas que, resultado das circunstâncias de vida, são confrontadas com a incapacidade de se protegerem do frio extremo. E, já agora, ao menos quando a espécie de máscaras que alguns usam se encontram manifestamente sujas e degradadas, que estas sejam substituídas por máscaras comunitárias decentes e limpas. Ficam aqui estas nossas propostas, singelas mas muito humanas.


Ler primeira parte da intervenção do vereador José Manuel Silva aqui.

Ler segunda parte da intervenção do vereador José Manuel Silva aqui.