Dar oportunidade aos independentes e mudar Coimbra



Coimbra tem de mudar, porque está a desertificar, a envelhecer e a regredir!

Entre 2009 e 2015, Coimbra (município) perdeu 9500 jovens, 6,6% da sua população, tendo hoje apenas 135000 habitantes. No mesmo período, a dinâmica cidade de Braga cresceu 1%, enquanto a diligente Leiria só perdeu 0,5%. Braga tem 97 pessoas com 65 ou mais anos por cada 100 jovens, Leiria tem 132/100 e Coimbra tem 187 seniores por 100 jovens!

O envelhecimento de Coimbra é dramático. Em breve Leiria será a cidade mais populosa do centro do país. A situação é mais grave porque os grandes empregadores públicos do concelho estão em perigo.

A Universidade de Coimbra (UC), devido à baixa da natalidade e à competição entre Universidades e regiões, pode perder 30% dos alunos e dos empregos.

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) está a ser ameaçado pelo Ministério da Saúde, que pretende reduzir a sua dimensão. Basta analisar os recursos financeiros para o comprovar. O CHUC tem um capital estatutário de apenas 71 milhões de euros (1864 camas em 2013), enquanto o pequeno Centro Hospitalar Barreiro Montijo tem 99 milhões de euros e o Centro Hospitalar de Lisboa Norte (Sta Maria) tem 256 milhões de euros (1099 camas em 2014). As gritantes diferenças não são inocentes...

Não obstante os sinais de alarme e o risco de um futuro sombrio, quase nada tem sido feito pela Câmara de Coimbra, para além de (más) rotundas e de festas. O deserto do iParque, a degradação da Baixa e da Alta e a ausência de aproveitamento das margens do Mondego são três exemplos da má governação da actual maioria camarária.

É evidente que Coimbra precisa de um projecto diferente, competente, independente e de acção, com pessoas sérias e ideias novas. Entre muitas, estas são algumas das nossas medidas e propostas para a Câmara de Coimbra:

1 - Praticar uma gestão transparente, instituir um orçamento participativo e investir nas freguesias.

2 - Dialogar e trabalhar com todas as instituições do concelho e defender activamente a UC e o CHUC.

3 - Apostar com inteligência em novas vias de desenvolvimento, como o património, cultura e turismo.

4 - Aumentar a competitividade do concelho de Coimbra, estimular o empreendedorismo e atrair investimento industrial e tecnológico, criando emprego para fixar e dar oportunidades aos jovens.

5 - Acabar com o excesso de burocracia, responder rapidamente aos pedidos de licenciamento e outros, respeitar todos munícipes (incluindo os de mobilidade reduzida e os mais carentes) e promover o envelhecimento participativo.

Como no Porto e em França, chegou a hora de dar oportunidade aos independentes. É preciso libertar a Câmara de Coimbra das teias de interesses e boys partidários.

Somos o único projecto de genuína mudança. Connosco, Coimbra voltará a ser forte, dinâmica, respeitada e líder.

#somoscoimbra