#94

Boletim #94 (1 de outubro de 2021)

Somos Coimbra com vitalidade reforçada após grande vitória eleitoral



Somos Coimbra com vitalidade reforçada após grande vitória eleitoral

A grande vitória conseguida no passado domingo pela coligação Juntos Somos Coimbra, em que o Movimento Somos Coimbra desempenhou um papel central, é um motivo de enorme satisfação para todos os que integram o Movimento. Atingimos o nosso primeiro objetivo, que era afastar uma equipa de gestão autárquica retrógrada que levou o concelho a uma trajetória de rápido declínio.

Inicia-se agora o trabalho para o nosso principal objetivo, que é colocar Coimbra num caminho de prosperidade. O Movimento Somos Coimbra participará ativamente nesta transformação, contribuindo empenhadamente para que Coimbra seja um pujante Polo de Cultura e Desenvolvimento.

Os órgãos do Movimento mantêm a composição atual, continuando o Presidente eleito da Câmara Municipal de Coimbra a ser o seu coordenador, pois o mandato em curso, de três anos, apenas termina em julho de 2023, momento em que se realizarão novas eleições internas.

José Manuel Silva em entrevistas Depois de ser eleito presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) no passado domingo, José Manuel Silva tem-se desdobrado entre diversas visitas aos serviços municipais e entrevistas. Após derrotar Manuel Machado José Manuel Silva tem tido a atenção dos meios de comunicação social nacionais, defendendo Coimbra como "motor de desenvolvimento nacional".

Na primeira grande entrevista após ser eleito, na manhã de segunda-feira pela Baixa de Coimbra, onde recebeu os primeiros cumprimentos e felicitações dos munícipes, José Manuel Silva defendeu ao “Diário de Notícias” que "Coimbra não vai voltar a ser esquecida pelo poder central".

Já a meio da semana, as atenções dos órgãos de comunicação recaíram sobre a localização da nova maternidade. Após a promessa de um anúncio de António Costa, em plena campanha eleitoral em Coimbra, José Manuel Silva referiu que o primeiro ministro “tem três semanas” para anunciar o local e a construção da nova maternidade da cidade.

“Reorganizar rapidamente” a autarquia e acelerar as respostas nos processos foi outra das prioridades do início de mandato de José Manuel Silva que congregou a atenção dos meios de comunicação.

O próximo presidente da CMC disse, também em entrevista, que não prevê fazer mais do que dois mandatos à frente da autarquia, já que é “suficiente” oito anos à frente de uma instituição.

Súmula dos resultados eleitorais

Nas eleições do passado domingo, a coligação Juntos Somos Coimbra conseguiu 43,92% dos votos para a Câmara Municipal, permitindo a eleição de 6 mandatos: José Manuel Silva, Francisco Veiga, Ana Bastos, Carlos Lopes, Ana Maria Cortez Vaz e Miguel Fonseca. Este resultado que representa uma maioria consolidada (29.349 votos pela coligação Juntos Somos Coimbra contra 21.820 votos do PS) permitiu terminar o ciclo de declínio imposto pelos últimos anos de governação socialista. O PS conseguiu apenas 32,65% dos votos, traduzidos em 4 mandatos.

Já para a Assembleia Municipal, a coligação Juntos Somos Coimbra conseguiu 40,28% do eleitorado, traduzidos em 26.916 votos. O PS teve 33% (21.312 votos), mas tem 43% da representação, mais do que o Juntos Somos Coimbra, devido à inclusão dos presidentes de junta na Assembleia Municipal, inclusão que é feita de uma forma que, no nosso entendimento, é inconstitucional, por violação do princípio da representação proporcional consagrado no Artigo 239.º, nº 2, da Constituição da República Portuguesa. Lutaremos por uma alteração da lei que corrija esta distorção.

Em relação às Assembleias de Freguesia, importa destacar a conquista da União de Freguesias (UF) de Eiras e São Paulo de Frades pela mega coligação. Luís Correia venceu com 40,55% (3.040 votos) o atual presidente socialista da UF, Fernando Abel. Na freguesia de Santo António dos Olivais, Francisco Rodeiro será o novo presidente pela mega coligação, ao ter conquistado 47,35% dos votos (9.191), ficando com a importante missão de continuar o legado de Francisco Andrade. Já Rui Soares, atual presidente da UF de Souselas e Botão e candidato pelo Juntos Somos Coimbra, conseguiu reforçar a sua maioria na Assembleia de Freguesia, ao conquistar 52,82% (1.200 votos) do eleitorado. Também João Francisco Campos, presidente da UF de Coimbra e recandidato, viu a sua votação reforçada nas últimas eleições com 50,14 % dos votos (2.922 votos). Em Assafarge e Antanhol, António Teodoro, atual presidente da UF e candidato pela coligação, mantém-se no cargo ao vencer com 49,14 % dos votos (1.264). Ainda em Santa Clara e Castelo Viegas, o cenário é idêntico. José Simão, atual presidente da Junta e recandidato, venceu ao conquistar 39,75% dos votos (1.128).

Boletim Informativo do Somos Coimbra passa a ter periodicidade mensal Em resultado das últimas eleições o Movimento Somos Coimbra altera a sua natureza de força política de oposição para força política com responsabilidade de governação, pelo que a sua ação se manifestará essencialmente através da atividade dos órgãos autárquicos, que é divulgada pelos respetivos canais de comunicação.

A natureza deste boletim é alterada em consonância, alterando também a sua periodicidade, que passa a ser mensal.