Leitores da Biblioteca Municipal de Coimbra podem finalmente aceder remotamente ao catálogo



Na reunião da Câmara Municipal de Coimbra do passado dia 9 de dezembro, o vereador José Manuel Silva chamou a atenção para o facto de continuar a ser impossível o acesso pela internet ao catálogo da Biblioteca Municipal de Coimbra, problema que é assinalado há anos, também na comunicação social local (por exemplo aqui), o que causa óbvias dificuldades em tempo de COVID-19.


O Somos Coimbra saúda que, entretanto, tenha sido finalmente disponibilizado esse acesso, através do endereço: https://biblioteca.cm-coimbra.pt/.


A informação disponibilizada ainda é muito escassa, não sendo por exemplo indicado qual a parte do acervo da biblioteca que ainda não está incluída no catálogo, e o acesso ainda não está ajustado ao ecrã pequeno dos telemóveis, mas é sem dúvida um progresso relevante, mesmo que tardio.


Veja aqui a intervenção do vereador José Manuel Silva na íntegra:


1ª parte da intervenção do vereador José Manuel Silva Reunião na Reunião de Câmara de 9 de dezembro de 2020


Há quase dois anos, o “Campeão das Províncias” informava os seus leitores que a Biblioteca Municipal de Coimbra possui uma base de dados eletrónica que se encontra inacessível, pelo que é impossível o acesso online ao catálogo da Biblioteca.


Continua o “Campeão das Províncias” afirmando que se um(a) leitor(a) pretender saber a cota de um livro sobre política anterior a 1960 terá de ir ao catálogo manual, onde estão as fichas individuais das obras até essa data; mas se quiser, por exemplo, um livro de 2010, terá de recorrer às funcionárias para pesquisarem através do catálogo interno, a que elas possuem acesso a partir de um programa próprio (não obstante a existência de meia dúzia de computadores, que de nada servem para o caso).


Passados dois anos, os leitores continuam a não poder aceder remotamente às existências do fundo documental da Biblioteca Municipal. O mundo avançou para o funcionamento em "tele-distância", mas esta Câmara sente-se plenamente satisfeita de permanecer quase na Idade da pedra lascada. Mesmo em plena pandemia COVID-19, as pessoas são obrigadas a deslocarem-se à Biblioteca Municipal, o que é uma vergonha para Coimbra.


Já que concorreram a Capital da Inovação, sem para isso estarem preparados e por isso não tiveram sucesso, não seria altura de superarem estes impedimentos e inovarem um pouco a Biblioteca Municipal? Fica a nossa proposta. Se nada fizerem agora, faremos nós em 2022. Entretanto, se quiserem, podem ir da Audi A8 até à Câmara de Arganil, para aprenderem como se faz bem.


Leia a segunda parte da intervenção do vereador José Manuel Silva aqui.

Leia a terceira parte da intervenção do vereador José Manuel Silva aqui.