União de Freguesias de Souselas e Botão na linha da frente no combate ao coronavírus


É junto às casas das pessoas, particularmente as mais frágeis, que a luta contra a pandemia se decide. Rui Soares, presidente da junta de Freguesia de Souselas e Botão pelo Movimento Somos Coimbra, demonstra no dia a dia como esse acompanhamento deve ser feito. O primeiro nível a apoiar é a rede de vizinhos que ajuda todos os idosos isolados, com a palavra amiga, o ir às compras, a ajuda na preparação das refeições, a vigilância em relação a qualquer sintoma preocupante, mas também a explicação prática das medidas de contenção em vigor no estado de emergência. A junta de freguesia, e em particular o presidente da Junta, é o recurso primeiro a que recorrem estes vizinhos-amigos. Num intenso corrupio diário, o presidente, imediatamente esclarece e direciona, ou põe em contacto com a pessoa certa na junta de freguesia, ou no centro de saúde, na segurança social, nos bombeiros, nos lares que dão apoio domiciliário, etc. Esta rede de vizinhos-amigos é tão importante que cobre todos os idosos isolados da freguesia.


O contacto com os dois lares de idosos da freguesia é permanente. A higienização dos acessos, a ajuda na definição dos procedimentos a seguir em caso de suspeita de infeção, a preparação de espaços de isolamento, tudo isso é feito em conjunto com a junta de freguesia. Também quando é necessário ser amigo de uma freguesia vizinha: a deteção de mais de 15 infetados com SARS-CoV-2 num lar de idosos de Torre de Vilela resultou na suspensão do serviço de apoio alimentar domiciliário que prestava, tendo esse serviço passado a ser assegurado pelo Centro de Apoio Social de Souselas. É ainda de referir que a única entidade que contactou a Junta foi o Centro de Saúde de Souselas, a ARS do Centro nenhuma diligência estabeleceu junto da freguesia. Segundo Rui Soares, presidente da Junta eleito pelo Somos Coimbra, só “o contacto e a sintonia com todas as instituições pode ajudar a prevenir situações de contágio”. Importa ainda acrescentar a estreita colaboração da Farmácia Hedel com a Junta de Freguesia. Outra frente é a desinfeção/higienização dos lugares mais frequentados da freguesia.


Apesar de a Junta estar a dar a máxima resposta, existem limitações. Por exemplo, Rui Soares reconhece a extrema necessidade de distribuição de material de proteção individual pelas instituições da freguesia. No entanto, apesar de repetidos pedidos já feitos quer à Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra quer à Câmara Municipal de Coimbra (CMC), ainda não obteve resposta.


Uma vez que são os presidentes de Junta que conhecem a realidade do terreno e acompanham as situações de perto, Rui Soares sublinha que a CMC devia promover uma “estratégia articulada com as juntas de freguesia” no combate a esta pandemia. Nada disso acontece. Os presidentes de Junta estão entregues a si próprios. As redes de vizinhos-amigos, por exemplo, são totalmente ignoradas pela Câmara. Também não houve qualquer envolvimento das juntas de freguesia na ação da CMC que visa a distribuição de quartos em hotéis para os profissionais de saúde, lares e similares, que não querem correr o risco de infetar a família.


Apesar de, felizmente, ainda não ter sido contabilizado nenhum caso de coronavírus na freguesia, a Junta já apoiou uma família que, face às consequências económicas da pandemia, não teve capacidade de resposta aos compromissos do quotidiano. Ainda assim, Rui Soares alerta que esta situação pode replicar-se por outras famílias que nos próximos meses podem ver o seu rendimento alterado. No entanto, reconhece que a Junta não conseguirá suportar sozinha muitas mais situações do género. Nesse sentido, Rui Soares apela ao apoio da CMC às freguesias, nomeadamente através do reforço do Fundo Municipal de Emergência Social.


Também o atendimento ao público foi encerrado, privilegiando-se o contacto telefónico ou atendimento por e-mail, de modo a proteger quer os trabalhadores quer as pessoas da freguesia. A comunicação através das redes sociais da freguesia está a ser reforçada de forma a dar à população todas as informações indispensáveis nesta altura, relativas aos mais diversos serviços.


Reconhecendo que a maioria da população da União de Freguesias está consciencializada para a importância de permanecer em casa, evitando ao máximo as saídas ao exterior, o Espaço Cultural da União de Freguesia de Souselas e Botão está a promover um desafio à comunidade com o mote “Da minha janela vejo o mundo”. A ideia é que, em temos de confinamento, as pessoas possam dedicar-se à escrita, à poesia, à pintura, ao desenho, à fotografia, ao vídeo, à música, etc., e depois partilhar os resultados com o resto da comunidade, podendo futuramente ser criada uma exposição sobre este eventual “Admirável Mundo Novo”.