"Um aeroporto em Coimbra faz ou não sentido e porquê?" - Contributo do SC para a Coolectiva


Imagem da "Coolectiva"

A Coolectiva perguntou aos diversos líderes políticos da cidade se faz ou não sentido um aeroporto em Coimbra, no âmbito da rubrica quinzenal "Questões Coimbrãs".


José Manuel Silva, líder do Somos Coimbra, respondeu em nome do Movimento, num contributo que aqui transcrevemos:

«O raciocínio sério sobre matéria tão complexa não cabe em 2.000 caracteres, pois depende da política de transportes, nomeadamente quanto ao comboio de alta velocidade, da provável futura proibição de voos de curta distância (por razões ambientais), da localização do aeroporto complementar à Portela, da atual crise dos transportes aéreos, de uma rigorosa avaliação dos custos, viabilidade efetiva e interesse das companhias aéreas, bem como do diálogo entre a CIM de Leira e de Coimbra. Os aeroportos têm reconhecidos impactos económicos nos territórios onde se localizam, sendo importantes para a afirmação turística e desenvolvimento económico. A região centro tem um potencial que não está devidamente rentabilizado, por várias razões, entre as quais a ausência de um aeroporto, mesmo sabendo, como ilustra o caso de Beja, que um aeroporto, por si só, não implica nenhum tipo de desenvolvimento, se as dinâmicas do território não necessitarem e não potencializarem esse pivot estratégico. Desde há 60 anos que se fala na abertura da BA5 de Monte Real ao tráfego civil. Nunca aconteceu por razões militares nacionais e europeias e pela incapacidade política dos autarcas da Região Centro. A mentirosa e demagógica promessa eleitoral do PS, feita sob palavra de honra, de construir o tal aeroporto internacional de Coimbra até final de 2021, morreu por impossibilidade técnica e financeira.


O Somos Coimbra (SC) e o MPT apresentaram uma moção, na Assembleia Municipal de 28/02/20, contra o aeroporto do Montijo e a favor do aeroporto da Região Centro, que infelizmente foi chumbada por PSD, PS, CpC e PCP. O SC considera que as dinâmicas do centro do país demonstram a razoabilidade de um aeroporto civil na região, entre Condeixa e Pombal, mas é necessário resolver esta questão com seriedade política, qualificados estudos técnicos atuais e capacidade de reivindicação da obra. Porém, não é essencial para o crescimento de Coimbra. No imediato deve modernizar-se o esquecido aeródromo Bissaya Barreto.»