Somos Coimbra propõe que Câmara Municipal de Coimbra apoie vacinação nas Farmácias



O projeto da vacinação nas farmácias resultou de acordo formal entre o Ministério da Saúde e as associações de farmácias – Associação Nacional das Farmácias (ANF) e Associação de Farmácias de Portugal (AFP) – para alargamento e diversificação dos locais de vacinação contra a gripe sazonal.


As farmácias vão receber perto de 10% do stock de vacinas do SNS reservadas à população com mais de 65 anos, que este ano poderão receber a vacina contra a gripe numa das habituais farmácias que lhes prestam assistência.


O programa tem a designação de "Vacinação SNS Local" e visa a vacinação contra a gripe de, pelo menos, 150 mil portugueses com mais de 65 anos, exatamente nas mesmas condições em que tal é feito nos centros de saúde, unidades locais de saúde ou unidades de saúde familiar.


O Ministério da Saúde e as associações de farmácias convencionaram um preço de 2,5 euros pela administração destas vacinas do stock do SNS, uma remuneração que cobre apenas parte do seu custo global deste serviço para as farmácias, estando o seu financiamento previsto através da mobilização dos municípios e da sociedade civil, envolvendo o Fundo de Emergência ‘abem Covid-19’, da Associação Dignitude.


«Temos de garantir que os mais frágeis continuam a aceder aos medicamentos, produtos e serviços de saúde de que precisam no momento em que lhes é pedido para não saírem de casa», explica Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação Dignitude.


Para o utente mantém-se gratuito. Várias Câmaras Municipais disponibilizaram-se para pagar os custos de administração aos seus munícipes, como Penela, Azambuja, Moura, Cascais, Almeirim, Porto, Guimarães, Loures, Oeiras, Ourém, etc. A 21 de outubro já tinham aderido mais 70 farmácias.


A diferente adesão das Câmaras a este programa coloca disparidades na possibilidade de escolha dos utentes relativamente ao local onde pretendem vacinar-se.


Naturalmente, o sucesso deste programa e o seu eventual alargamento a mais utentes de grupos prioritários depende da adesão das farmácias, mas também do financiamento das autarquias e destas manifestarem a vontade de oferecer este serviço aos seus munícipes.


Curiosamente, a Câmara do Sardoal, por exemplo, recusou participar neste programa, tendo o vereador do PS, Carlos Duarte, questionado o executivo sobre as razões de recusar aderir ao Programa ‘Vacinação SNS Local’ uma vez que, nas palavras deste vereador socialista, tem como objetivo facilitar a vacinação em ano de pandemia e aliviar os centros de saúde.


Além das vacinas disponibilizadas de forma gratuita pelo SNS, as farmácias dispõem de cerca de 500 mil doses da vacina contra a gripe para dispensa e administração à restante população, que ao longo das últimas semanas tem acentuado os pedidos de reservas.


O movimento Somos Coimbra propõe formalmente que a Câmara Municipal de Coimbra adira a este programa oficial, facilitando a vida às pessoas que têm direito à vacinação gratuita pelo SNS e contribuindo assim para diminuir o risco de contágio pela COVID-19 devido ao habitual congestionamento que neste período se costuma verificar nos cuidados de saúde primários.

Veja a entrevista do vereador José Manuel Silva ao "Notícias de Coimbra" sobre este tema aqui.

SIGA-NOS

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube - círculo cinza

© 2019  Movimento Somos Coimbra