SC desafia CMC a adotar iniciativas de teor pedagógico no âmbito da sustentabilidade ambiental


1ª parte da intervenção da vereadora Ana Bastos na Reunião de Câmara de 21 de dezembro de 2020


Dando voz às preocupações de um munícipe de Coimbra que nos procurou, importa que o executivo acorde para a realidade em que Coimbra se transformou e adote ações corretivas urgentes.


As nossas ruas estão sujas! A cidade está suja! Onde quer que nos desloquemos deparamo-nos com embalagens, garrafas de plástico, latas, maços de tabaco, garrafas de vidro, beatas, roupa velha e mais recentemente, máscaras e toalhetes usados, que de forma deliberada ou descuidada são largados para o chão, um pouco por todo o lado. É lamentável a quantidade de resíduos que se encontram espalhados no espaço público, sendo esta queixa transversal a vários munícipes oriundos dos diferentes quadrantes da cidade.


Seja pela ação da chuva ou do vento, muitos destes resíduos e plásticos acabam por ir parar aos cursos de água, com todas as consequências que daí podem advir designadamente do ponto de vista ambiental. Mas para além do risco ambiental, hoje em dia, este lixo, muitas vezes contaminado, é cumulativamente um problema de saúde pública.


A sustentabilidade ambiental é atualmente uma bandeira do Governo Nacional, que desenvolve múltiplos instrumentos estratégicos globais e sectoriais, por vezes associados a programas de financiamento, com vista a reverter as alterações climáticas e o fenómeno do aquecimento global. Mas sejamos realistas, os esforços para se atingirem as metas ambiciosas estabelecidas perante a União Europeia e as Nações Unidas, não podem limitar-se à esfera nacional, sendo absolutamente essencial a atuação ao nível regional e sobretudo o envolvimento do poder local.


Sem dúvida que importa combater o problema na fonte, envolvendo as pessoas em ações de educação e de cidadania participativa. Nesse sentido, o Somos Coimbra associa-se a estes munícipes de Coimbra e desafia este executivo à adotar duas iniciativas de teor pedagógico:


  1. Promoção de campanhas de sensibilização temáticas (flyers, site e meios de comunicação oficiais da autarquia) destinadas às diferentes faixas etárias e setores de atividade da comunidade coimbrã, apelando à cooperação de todos na manutenção da limpeza da cidade, ao mesmo tempo que se informam os cidadãos dos impactes, dos riscos e das externalidades negativas resultantes desses atos;

  2. Adoção de medidas proactivas, como a organização de ações de limpeza mais profunda das ruas, parques e jardins da cidade, envolvendo equipas devidamente remuneradas, conjugadas e apoiadas pelo recrutamento de cidadãos voluntários.

A mensagem que deve ser transmitida às pessoas é: “Não suje(s) a nossa casa”. É imperativo agir e envolver as pessoas numa causa comum e que afinal é a causa de todos nós!


Leia a segunda parte da intervenção da vereadora Ana Bastos aqui.