SC insiste na necessidade dos SMTUC investirem num sistema de informação funcional para smartphone


Intervenção da vereadora Ana Bastos na Reunião de Câmara de 11 de janeiro de 2021


Em termos coletivos, desejo que o ano de 2021 seja o ano da mudança e afirmação de Coimbra no panorama nacional e europeu, com a abertura de portas e de oportunidades particularmente dirigidas aos nossos jovens recém-formados, contrariando a tendência prolongada de fuga dos cérebros para outras cidades ou para o estrangeiro.


No que respeita ao setor dos transportes, desejo que o ano de 2021 represente igualmente um marco de mudança, com a oferta de novas alternativas de deslocação eficazes, acompanhadas de uma forte aposta nas novas tecnologias, que proporcione o inevitável controlo total sobre a movimentação de veículos, alocação otimizada de motoristas e a gestão, em tempo real, dos trajetos. Mas, não menos importante, que seja o ano em que se eliminem finalmente as assimetrias e as discriminações negativas no tratamento das populações nas diferentes regiões do concelho.


Por isso, congratulamo-nos com a chegada dos novos 21 motoristas para os SMTUC, os quais são uma fonte de esperança para proporcionar a oferta de um melhor serviço do operador interno, mas também para garantir melhores condições de trabalho para os atuais motoristas que se viram, ao longo dos últimos anos, obrigados sistematicamente a abdicar das suas folgas para assegurar o funcionamento do sistema, com grandes penalizações para a sua vida pessoal e familiar. A eles o nosso agradecimento pelo espírito de missão demonstrado, assim como aos que se reformaram ou optaram por outras vias profissionais fora dos SMTUC.


Todavia, garantir um bom serviço, cativar e fidelizar clientes, não passa unicamente por disponibilizar linhas e horários. É preciso informar de forma fácil e acessível o serviço oferecido, seja em termos de serviços alternativos, seja de horários e de percursos. O esforço de fidelização deve incidir de forma muito particular nas camadas jovens, onde as novas tecnologias assumem um papel crucial.


Desde que assumimos funções no Executivo, que defendemos a necessidade dos SMTUC investirem num sistema de bilhética e de informação integrada, necessidade que ganhou força com o agravar e prolongar da situação epidemiológica. Esse esforço deve incidir na fase pré-viagem, permitindo aos utilizadores adquirirem o bilhete e acederem às alternativas de deslocação, a partir do seu telemóvel. Por isso, já na reunião de 12/11/2018, o Somos Coimbra sugeriu um forte investimento numa plataforma de informação, fácil de usar, denunciando que o “Coimbra Move-Me” desenvolvido pela OPT, se apresentava como “uma ferramenta pouco amigável, inflexível, irrealista e portanto inadequada às necessidades dos utilizadores.” Lamentavelmente e passados mais de 2 anos e meio, nada foi feito!


Portanto, nada mais confrangedor e vergonhoso, para a “cidade do conhecimento” e que queria ser Cidade Europeia da Inovação 2020, do que aceder, através do site dos SMTUC, à play store para instalação do “Coimbra Move-me” e sermos confrontados com mais de 150 comentários demolidores que se acumulam, desde 2018 e, que não deixam dúvidas sobre a péssima qualidade da aplicação oferecida. Também a atribuição de 2 estrelas em 5 na classificação (onde prevalece a classificação de 1), não deixa dúvidas sobre a falta de qualidade da app, sem que tal tenha merecido a atenção por parte dos responsáveis dos SMTUC.


Por uma questão de extensão do documento, limitamo-nos aqui a reportar 5 desses comentários, convidando o executivo com funções a avaliar os restantes e, sobretudo, a agir em conformidade:


“Péssimo desempenho. App além de complicada dá resultados errados, chegando a informar que não há transporte existente quando se sabe que não é verdade.”

“Simplesmente lixo...não serve para nada só para ocupar espaço e perder tempo a instalar e desinstalar...”

“Impossível usar a aplicação neste estado, nada intuitiva com layout péssimo”

“Muito mal. Não dá para pesquisar. Desenvolver uma app apenas para dizer que sim mais valia não terem feito nada”.

“Odeio, desinstalei”


Com este tipo de aplicação e a atitude displicente e amorfa dos dirigentes dos SMTUC, não é preciso uma pandemia para arrasar com os níveis de procura nos transportes públicos, que, por muito de lamentemos, se nada for feito, vão continuar a cair, com sérios prejuízos para o ambiente e para a cidade. O futuro da mobilidade passa por harmonizar os diferentes sistemas não só de bilhética mas também de informação, promovendo uma mobilidade intermodal de forma mais integrada e acessível, nomeadamente através da modernização dos equipamentos disponíveis e da desmaterialização e integração da informação num sistema compatível com os smartphones.


E não vale a pena se alegar que tudo vai mudar com o novo sistema integrado de bilhética, adjudicado à MEO, e que se encontra em fase de desenvolvimento. Afinal, se os SMTUC não são capazes de disponibilizar uma ferramenta de informação fiável e atrativa com um sistema offline, mais difícil será ajustá-la a um sistema atualizado em tempo real, compatibilizado e articulado com os restantes operadores locais.


Coimbra dispõe de uma Universidade, de um Instituto Politécnico e de empresas que são consideradas referência a nível internacional no setor das comunicações e das novas tecnologias, que, numa ação de cooperação, poderiam fazer a diferença a este nível, criando uma aplicação ajustada às especificidades do sistema de transportes locais.


Desafia-se esta Câmara Municipal, em articulação com a CIM e com a Metro Mondego, a criarem uma plataforma conjunta, com a máxima urgência, que responda às necessidades da cidade e da região salvaguardando o acesso e a atualização do sistema por parte dos promotores de forma a ajustá-la, em cada instante, às novas exigências e à inevitável evolução do sistema. Esta plataforma já deveria ter avançado e não pode ficar ad aeternum à espera da entrada ao serviço do MetroBus… Até lá, sugerimos que os SMTUC eliminem, no site oficial, a referência ao Coimbra Move-me e recomendem apenas instalação da aplicação Moovit. Coimbra e os Conimbricenses precisam e exigem-no!

Bom Ano!