Há 3 anos que a CMC impede a criação em Coimbra de um Centro de Treino de Alto Rendimento de Natação


No final da semana passada, a Federação Portuguesa de Natação (FPN) criticou a Câmara Municipal de Coimbra (CMC) por esta não cumprir um protocolo que aprovou e acordou em 2017. O Somos Coimbra não entende a inércia da CMC e apela a uma ação célere por parte da autarquia, que trouxe a público, ela própria, que em três anos não assinou o compromisso.


Na reunião de 10 de julho de 2017 da Câmara Municipal de Coimbra foi aprovado por unanimidade um Contrato-Programa de Desenvolvimento Desportivo para criação do Centro de Treino de Alto Rendimento Desportivo Universitário de Natação em Coimbra, entre o Município de Coimbra, a Federação Portuguesa de Natação e a Associação de Natação de Coimbra (ANC).


Inexplicavelmente, apesar de inúmeras insistências das outras partes, passados três anos o contrato continua por assinar por ausência de resposta da CMC, que não apresentou até à data qualquer razão para não assinar o documento. A coligação PS-PCP e o Vice-Presidente da CMC, este com o pelouro do desporto, encontram-se assim, há três anos a esta parte, em incumprimento e desrespeito de uma deliberação da própria CMC, tomada por unanimidade. O mesmo Vice-Presidente que anunciou publicamente a criação do centro de alto rendimento, em janeiro e julho de 2017, agora vem escudar-se atrás da não assinatura do contrato, algo que é da sua direta responsabilidade.


O Somos Coimbra entende que esta demora denota, mais uma vez, aquela que tem sido a falta de iniciativa e proficiência da CMC na promoção e na atração de investimento ou de atividades para o concelho. Para além de não criar condições favoráveis ao desenvolvimento, mostra ser apenas eficaz a dificultar o trabalho das mais diversas entidades. É incompreensível que uma atividade tão consensual como a promoção do desporto no concelho, algo que influencia a imagem de Coimbra, nacional e internacionalmente, seja secundarizada e perturbada desta forma pela autarquia.


Resguardada em justificações decorrentes da resposta à COVID-19, a CMC quebrou subitamente o acordado, ao deixar de autorizar que atletas de fora do concelho utilizassem as pistas do Complexo Olímpico de Piscinas Municipais. Apesar de saber perfeitamente que, segundo uma “Resolução do Conselho de Ministros de 17 maio, os atletas de Alto Rendimento, bem como os nadadores que integram Centros de Alto Rendimento e Unidades de Apoio ao Alto Rendimento Escolar, podem ter acesso ao treino em instalações desportivas”, como explicou António José Silva, presidente da FPN, em declarações do “Diário As Beiras” de 30 de maio. “As pistas de treino não estão previstas e tem sido a ANC a salvaguardar o espaço”, revelou ainda o dirigente, apesar de esta responsabilidade ser da CMC.


Lamentavelmente, perante a recente denúncia da FPN, a CMC reagiu com o fraco estilo politiqueiro da concelhia do PS, que não honra Coimbra. Nesse sentido, o Movimento Somos Coimbra entrou em contacto com a FPN para apurar os factos e confirmou uma demagógica deturpação dos factos por parte do vice-presidente da autarquia, Carlos Cidade.


De forma a contrariar essa imagem e contribuir para o prestígio da cidade num dos campos em que se mais se destaca, o desporto, o Somos Coimbra apela a que a CMC trabalhe com celeridade e seriedade, bem como dignifique o bom nome de Coimbra, de forma a finalmente assinar, e cumprir, o contrato programa aprovado há tanto tempo.

2 de junho de 2020

SIGA-NOS

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube - círculo cinza

© 2019  Movimento Somos Coimbra