top of page

Posição do Somos Coimbra sobre as GOP dos SMTUC para 2021


Ver documento na íntegra das Grandes Opções do Plano dos SMTUC para 2021 aqui


Queremos começar por realçar o esforço desenvolvido pelos serviços técnicos dos SMTUC na preparação do documento das Grandes Opções do Plano (GOP), pelo que o Somos Coimbra deixa aqui uma mensagem de louvor e apreço por todos aqueles que, de alguma forma, contribuíram para a sua elaboração.


Também não podemos deixar de reconhecer as dificuldades sentidas pelo setor dos transportes e, em particular pelos SMTUC, na sequência da crise pandémica que atravessamos e que se refletiu numa perda drástica do número de passageiros e, por inerência, na receita de bilheteira e que se manterá, muito possivelmente, pelo menos parcialmente, no decurso de 2021. A situação exige a tomada de medidas adicionais no sentido de readquirir a confiança dos utilizadores, o que se traduzirá num aumento das despesas correntes, nem sempre contrabalançada pelo aumento das receitas.


Face a esta realidade, regozijamo-nos pela manutenção do tarifário como componente social do transporte, o qual não sofre alterações desde 2012 e pela atribuição gratuita do passe escolar a todos os estudantes até ao 12º ano de escolaridade. Anotamos com particular agrado a continuidade de alargamento e tentativa de modernização da frota de autocarros conjugada ao princípio de descarbonização do setor, com o investimento de cerca de 2,4 milhões de euros para aquisição dos 5 autocarros elétricos, adquiridos no âmbito da candidatura POSEUR, aprovada em 2018. Pesem embora algumas dúvidas quanto à sua verdadeira eficiência ambiental, e quanto ao destino a dar às baterias em fim de vida, a aposta na mobilidade elétrica não deixa de ser uma mais valia para a melhoria da qualidade do ar, no espaço urbano. Contudo, o controlo dessa externalidade ambiental tende a ser anulada ou até ultrapassada pela contínua aquisição de veículos usados (+ 6 usados) a combustão interna, os quais, dependendo da idade e do estado de conservação, contribuirão para a degradação de alguns dos indicadores de desempenho, com particular ênfase nos consumos médios, idade média da frota e taxa do imobilizado.


Todas estas medidas e ações, apesar de benéficas, serão insuficientes, por força da pandemia para se reatingir os níveis de procura obtidos em 2019, pelo que o ano de 2021, se afirma particularmente exigente a esse nível.


Os números previsionais para 2021, apontam, para quase 13 milhões de passageiros a serem transportados, valor ligeiramente superior aos transportados em 2019, o que apenas nos cenários mais otimistas, deverão ser atingidos. Mas tratando-se de previsões, são previsivelmente falíveis! O Somos Coimbra considera, por isso que, o orçamento parte assim de uma base periclitante e pouco prudente, arriscando-se a por em causa investimentos programados, por quebra de receitas, designadamente a expansão da rede a todo o concelho, objetivo que deveria ser considerado prioritário por parte da autarquia como forma de diluir assimetrias sociais e a discriminação tarifária aplicada aos transportes.


Os novos 14 autocarros objeto da candidatura ao POSEUR (5 autocarros + 9 mini-autocarros), que previsivelmente entrarão ao serviço em 2021 constituirão seguramente uma alavanca à expansão da rede, mas ainda assim muito insuficientes para responderem às novas reais necessidades resultantes do relançamento do sistema da ECOVIA, novas áreas de cobertura e naturalmente à substituição de autocarros em fim de vida. Este é um campo de atuação, onde o investimento deve ser contínuo e sem interrupções.


Mas apesar dessas preocupações, as GOP dos SMTUC para 2021 não deixam de abrir algumas portas de transcendente relevância para uma fase pandémica e de recuperação da procura, com comprometimento explicito dos SMTUC e desta Câmara Municipal, no sentido de, em 2021, ser concretizado e corrigido um conjunto de situações que vão de encontro a diversas propostas e reivindicações, levantadas ao longo destes últimos 3 anos pelo Somos Coimbra, designadamente:


  1. No âmbito das verbas do PART, prevê-se o alargamento da cobertura da rede dos SMTUC a Souselas e Botão. Apesar deste sinal extremamente positivo, e que só peca pela demora, importa igualmente integrar nos planos, a expansão da rede á zona noroeste da cidade, servida através da N111, com vista a uma cobertura global do concelho, por parte do operador municipal;

  2. A entrada em funcionamento do sistema de bilhética integrada, que permitirá adquirir ou renovar títulos à distância, numa era de transição digital. Deve, contudo, esse sistema ser devidamente compatibilizado numa ótica inter-municipal de forma a integrar todos os operadores que atuem quer no concelho quer ao nível da CIM;

  3. Aposta no sistema de informação inteligente, embora devam ser envidados esforços no sentido de garantir a fiabilidade da informação em tempo real, a partir de casa, nas paragens e on-board. O sistema deve ainda devidamente articulado com outros operadores, como a CP, os serviços alternativos e os operadores privados (carreiras nacionais, regionais e sub-urbanos);

  4. Facilitação do acesso à compra de bilhetes. Para além dos indispensáveis e anunciados serviços online, devem ainda ser previstos postos automáticos a localizar em pontos estratégicos da cidade, em articulação com o sistema do MetroBus. Mais do que novas lojas SMTUC, importa apostar em sistemas disponíveis 24/24h;

  5. Criação de outras modalidades de títulos de transportes, como o bilhete horário, embora muito haja ainda a fazer, numa ótica de Mobility as a Service (MaaS);

  6. Implementação do sistema IParque Mobile, para gestão do sistema de estacionamento potenciando a gestão, controlo e pagamento à distância;

  7. O reforço da fiscalização, designadamente nas zonas de estacionamento de duração limitada, essencial a uma politica assertiva de gestão do controlo do estacionamento, no combate à sensação de impunidade e por consequência, ao descrédito do sistema.


Ainda assim e pela sua elevada relevância, o Movimento Somos Coimbra faz questão de sublinhar 5 propostas adicionais, cuja implementação em muito contribuirão para a diferenciação do serviço oferecido, para a abolição das assimetrias territoriais e sociais, fomentando o uso do transporte publico em detrimento do transporte individual:


  1. Melhoria transporte flexível (a pedido), atualmente limitado a um segmento populacional especifico, alargando-o à generalidade da população idosa e às zonas de habitação dispersa não servidas ou deficientemente servidas por carreiras regulares;

  2. Reforço da conectividade via wi-fi on-board que permita aos utilizadores tomar as decisões de mobilidade que melhor lhes convier;

  3. Criação de um sistema de transporte escolar eficaz e seguro, particularmente incidente nas zonas periféricas, onde as crianças têm de andar kms a pé para acederem ao TP regular. Esta solução deverá merecer um compromisso conjunto entre a CMC, os agrupamentos de escolas e encarregados de educação;

  4. Exigir a comparticipação do Governo Central nos SMTUC, de forma a ser criado um passe único para Coimbra e concelhos limítrofes, à semelhança do que o programa PART veio proporcionar aos municípios de Lisboa e Porto e respetivas áreas metropolitanas;

  5. Motivação dos motoristas dos SMTUC através de uma remuneração/gratificação justa, sem prejuízo da redefinição legal da respetiva carreira profissional de agente único.


O Somos Coimbra não pode deixar de lamentar que as GOP não se apresentem como um documento vincadamente inovador e ambicioso e que represente uma clara alteração da estratégia de promoção dos transportes públicos em Coimbra. Contudo, não podemos deixar de ter em atenção a especificidade e imprevisibilidade dos tempos que atravessamos, bem como o comprometimento para apostar na modernização de alguns serviços, bem como a expansão da rede a novos territórios, convergindo para a cobertura integral do concelho pelo operador interno. Não sendo estas as GOP que o Somos Coimbra preconizaria, registam-se alguns sinais de mudança, pelo que permaneceremos atentos e vigilantes relativamente ao seu cumprimento. Nesse contexto, o Somos Coimbra irá abster-se na votação das GOPs dos SMTUC.



26 de novembro de 2020


Os vereadores do Somos Coimbra

Ana Bastos José Manuel Silva

Comentários


bottom of page