"Como se atraem empresas e investimento para Coimbra?" - Contributo do Somos Coimbra


Imagem da "Coolectiva"


A Coolectiva perguntou aos diversos líderes políticos da cidade como se atrai investimento empresarial para Coimbra, no âmbito da rubrica "Questões Coimbrãs".


José Manuel Silva, líder do Somos Coimbra, respondeu em nome do Movimento, num contributo que aqui transcrevemos:


«De 3º município do país, Coimbra é hoje somente o 19º concelho nacional, com 134 mil residentes, reduzida a uma cidade de passagem de turistas e estudantes; desde 2001, perdeu 10 vezes mais população (em percentagem) do que a média do país (9,5 vs 0,95%). Por falta de emprego e oportunidades, Coimbra é um dos piores concelhos do país na perda de jovens residentes dos 24-29 anos, tendo perdido 54% destes jovens nos últimos 18 anos (redução média do país foi somente de 34%). Coimbra é apenas o 65º concelho em empresas não financeiras/100 habitantes (Pordata, 2018) e em bens exportados (incluindo o turismo) (Pordata, 2019), atrás de concelhos como Pombal, Nelas, Tondela, etc., com um balanço negativo relativamente às importações. Sendo Património Mundial e dependendo tanto do turismo, Coimbra está somente no lugar 239º no número médio de pernoitas por turista (Pordata, 2019). Todavia, Coimbra tem um potencial de desenvolvimento e crescimento brutal, fruto das suas competências, localização e património histórico e cultural. É primordial definir uma estratégia de futuro numa perspectiva do concelho como polo nuclear e acelerador de uma grande área metropolitana regional e que promova a globalização de Coimbra. Elencamos sete das muitas medidas que propomos:


- Organizar a Câmara para responder rapidamente aos munícipes e empresários. Para isso, é essencial reiniciar a sua Certificação Externa de Qualidade.

- Criar um Conselho Estratégico para o Desenvolvimento de Coimbra. - Elaborar um plano estratégico de cultura e turismo, promovendo toda a região. - Tornar Coimbra mais competitiva em termos de impostos e de taxas. Por exemplo, para uma ampliação industrial, em Coimbra as taxas são cerca de 9 vezes superiores a Cantanhede! - Isentar de taxas os investimentos produtivos que recuperem os velhos espaços industriais. - Ampliar, a valores competitivos, as áreas industriais. - Dinamizar o Gabinete de Apoio ao Investidor, para que seja proactivo na procura e atração de investimento.»